CONFERÊNCIA DA DEUSA PORTUGAL

A primeira Conferência da Deusa teve lugar em Portugal em Maio de 2019, em Sintra, no espaço Almaa. Tratou-se da realização dum sonho concebido em 2011, quando participámos pela primeira vez na Conferência de Glastonbury, no Reino Unido. Para concretizarmos esse projecto, obviamente que foi necessária a colaboração dum vasto  número de amantes da Deusa, desde as nove Sacerdotisas do Grupo Cerimonial, até ao grupo das nove Melissas Tribais (actuais Sacerdotisas do Círculo), passando pelas Melissas Voluntárias, pela equipa técnica, tradutoras, artistas, performers e apresentadoras. Estas últimas vieram de tão longe quanto os Estados Unidos, o Reino Unido, a Espanha e o Brasil, para além, claro, de Portugal.

Apesar do termo Conferência poder soar como algo de muito sério e dirigido apenas ao plano mental, o conceito foi criado nos anos 90 do século XX, em Glastonbury, por Kathy Jones, inspirada pelo título de um antigo livro de poemas persa, A Conferência dos Pássaros. A verdade é que não se trata apenas duma sucessão de palestras e de discussões intelectuais à volta dos temas apresentados, embora esta parte também esteja incluída no programa. O evento, no entanto, é bem mais completo, inspirando-se nas antigas culturas da Deusa onde a arte e a festa tinham um lugar central na vida das comunidades. Essa cultura do prazer, onde a arte é central, tão característica das sociedade matrifocais do passado, e de alguns núcleos que subsistem ainda no presente, fomenta a expansão da nossa criatividade e de todo o nosso ser, permitindo-nos de uma forma efectiva tecer a paz, a alegria, a sororidade, a fraternidade e a inclusividade.

Assim, ao longo de três dias, teremos cerimónias, além de palestras, workshops e performances, convívio e celebração, além de um mercado de artes da Deusa. Tudo subordinado a um tema que este ano será o das Deusas Solares, do Feminino Activo, do Fogo da Fertilidade da Primavera. Usaremos a cor verde com alguns apontamentos de dourado, e teremos ocasião de conhecer e de conviver com pessoas de vários lugares e continentes – isto a julgar pela edição anterior em que o nosso público se deslocou desde várias localidades do território, mas também dos Estados Unidos, do Reino Unido, de Espanha, do Brasil, da Irlanda e até da Holanda.